Opinião Sincera | Call Of Juarez: Gunslinger

 

Nunca nos cansamos de boas histórias de velho oeste, ainda mais quando bons jogos do tema estão em falta no mercado. Então por que não retomarmos um que foi lançado há algum tempo, porém ainda muito divertido e que traz a apresentação dessas histórias de uma forma um pouco diferente? Falaremos agora sobre Call Of Juarez: Gunslinger.

              Call Of Juarez: Gunslinger, é um jogo da saga Call Of Juarez lançado em maio de 2013, que vem para reavivar os fãs da saga, trazendo, dessa vez, uma jogabilidade um pouco mais caricata, que aposta bem mais no humor e na ação desenfreada, e abandona um pouco da seriedade e sobriedade da série.

              A história de Gunslinger é narrada por Silas Greaves, um caçador de recompensas reconhecido e quase aposentado, em uma mesa de um bar. Nessa mesa ele conta a todos um pouco mais de seus feitos, e vemos alguns acontecimentos do Velho Oeste sobre seu ponto de vista (às vezes exagerado), criando situações cômicas e fazendo com que nos perguntemos se aquilo realmente ocorreu daquela forma (justamente a ideia que o jogo quer passar). Inúmeras vezes Silas é questionado ou esquece de pontos “importantes” para o desenvolvimento e, no decorrer do “consertar suas memórias”, as fases por vezes se modificam enquanto avançamos, sem a mínima preocupação com o que pensaremos. Então, enquanto enfrentamos índios em um momento, um minuto depois o protagonista pode se lembrar que na verdade estava em conflito com bandidos e simplesmente todos na tela se transformam, gerando assim uma narrativa diferenciada, fazendo-nos pensar no que vai acontecer no decorrer dele.

              A história do jogo segue os precedentes comuns de um bom jogo de Velho Oeste, chegando até a ser clichê (algo que é bem-vindo nesse jogo). Um pistoleiro em busca de vingança contra alguém que machucou sua família, e é isso que vemos do início até o fim. No decorrer de sua vingança nos encontramos com diversos ícones, como Billy The Kid e Jesse James, e vemos a forma como Silas afetou (ou acredita ter afetado) suas vidas.

              O jogo apresenta um visual cartunizado, diferente de seus antecessores (o que o torna bonito mesmo sendo jogado nos tempos atuais), e um modo de jogo mais voltado para o arcade, onde não é necessária nenhuma estratégia complexa, apenas mirar e atirar. Isso não entra como uma falha do jogo, pelo contrário, ele é divertido justamente por sua proposta de ser apenas divertido, e não um jogo profundo e complexo.

Ele também conta com um sistema de pontos onde quão mais rápidos e precisos forem seus tiros, mais pontos ganhará ao fim da fase, lembrando um arcade. Ele possui também uma evolução em árvore de habilidades, onde, ao passar dos níveis, você pode incrementar cada vez mais suas armas, tendo como variações destas: espingardas, revolveres e escopetas.

              Além disso, também temos o sistema de duelo, talvez o ponto mais complexo do jogo. Geralmente após derrotar um dos chefes, você entrará em duelo com ele. Aqui será necessário velocidade, precisão e diversas tentativas (em alguns casos diversas mesmo) para poder vencer. O sistema foca em controlar a mão de Silas para que a velocidade de saque da arma seja maior, enquanto você foca em seu oponente buscando aumentar sua precisão, apesar de parecer complexo. De início é até fácil se acostumar com o sistema, o problema ocorre quando outros pontos são adicionados, como ter de desviar de balas enquanto atira ou lidar com mais de um inimigo, o que pode trazer maior dificuldade, porém nada impossível.

Percebemos então que, apesar de ser um jogo bem simples, Gunslinger consegue ser extremamente divertido. Contando com um visual bem bonito, mesmo após tanto tempo, e a diversão de um FPS onde apenas mirar e atirar importa. O jogo também é curto, permitindo que seja finalizado em apenas um dia, o que faz com que ele não se torne repetitivo demais, e após finalizar, é possível jogar novamente com todas as habilidades conquistadas, ou apenas revisitar suas fases, buscando conseguir pontuações maiores. Assim, o jogo é uma boa pedida principalmente caso queira um jogo descompromissado, curto e bastante divertido, e mais ainda se buscar uma temática de velho oeste.