Quatro séries sobre negócios para assistir nas férias

 

Com a chegada das férias, muita gente começa a preparar suas listinhas de filmes e séries, e, com o intuito de facilitar sua vida, querido leitor, nós do Puxadinho trazemos uma lista para te inspirar. Durante essa folga de final de ano, muita gente reserva esse tempo não só para descansar, mas também para traçar novos planos, refletir sobre a vida, se aperfeiçoar e, quem sabe até, começar uma nova carreira ou um novo negócio. E hoje em dia temos séries fantásticas relacionadas a negócios, perfeitas para começar o ano com novas perspectivas e despertar o seu lado capitalista.

 

1. Billions

Já fizemos a review dessa série aqui no Puxadinho. A série é basicamente um jogo de gato e rato, um procurador da república especialista em crimes financeiros (Chuck Rhoades) procura construir uma reputação para se candidatar a governador e, para isso, fica na cola de um dos homens mais ricos dos EUA (Bobby Axelrod), o qual construiu sua fortuna através da sua empresa de hedge fund “AXE Capital”. Toda a série é baseada nessa briga de titãs, mostrando um conflito de egos e interesses sem precedentes.

A série consegue demonstrar bem dois universos com interesses aparentemente opostos: empresas x governo. Mas ela demonstra que nem sempre essa relação é conflituosa. A depender da necessidade, empresários e burocratas podem se unir quando têm um objetivo ou um inimigo em comum, mas nada muito além disso. Por trás de toda essa briga de personalidades, consegue-se captar muitos princípios estratégicos de posicionamento empresarial e negociação. Se assistida com cuidado pode-se tirar muitas lições, não só das ações dos personagens, mas a série também é recheada de frases de efeito. E o melhor de tudo é que a série só tem 3 temporadas, com a 4º ainda a ser lançada, ou seja, dá para assistir rapidinho.

  2. Suits

Suits tem sido a queridinha da galera nos últimos tempos, mesmo estando na 8º temporada mantém o alto nível. Ela se passa na cidade de Nova York, mais especificamente em um grande escritório de advocacia e, além de lhe dar com os problemas dos seus clientes, há muitos conflitos internos e a cada episódio o nível de tensão é altíssimo, te deixando vidrado na tela durante todo o episódio.

A série consta nessa lista não só pelo fato de que a maioria dos clientes do escritório são grandes empresários, mas também por ser praticamente um livro de estratégia ilustrado. Um dos protagonistas, Harvey Specter, é conhecido por nunca ter perdido um caso e por ser imbatível em negociações, mas a série consegue passar isso de maneira natural e não como se ele fosse um super-herói com poderes psíquicos, como ocorre em outras séries. Durante uma negociação há toda uma construção argumentativa bem embasada e a série trabalha isso durante toda a temporada. Muita gente após assistir a série sai se achando o maior negociador do planeta, pois ela consegue passar essas estratégias de maneira tão palpável que faz você sentir que pode ganhar qualquer debate dali em diante. Ela também ensina muito sobre estratégias de mercado e até te faz refletir sobre ética empresarial. É um prato cheio pra quem planeja abrir um negócio ou trabalha em uma grande empresa.

  3. House of Cards

Outra série que já analisamos aqui no Puxadinho e que chegou ao fim recentemente após 6 temporadas é House of Cards. Após um escândalo sexual envolvendo o ator protagonista da série, Kevin Spacey, a Netflix rompeu seu contrato e a última temporada foi gravada sem a presença do mesmo, prejudicando bastante a sua narrativa. Ela já vinha caindo de nível a algumas temporadas, mas a última temporada foi realmente pra selar o caixão. Maaaas, por que ela está nessa lista? Porque, por mais que seu nível tenha caído, uma coisa ela nunca deixou de lado: sua narrativa sobre as relações de poder. A série é inteiramente sobre isso. Há quem diga que o real protagonista não é Frank, nem Claire e muito menos Doug, e sim o poder. E o caminho até o poder é duro, sendo necessária uma estratégia muito bem elaborada (nem sempre limpa) e uma grande dose de manipulação. E a série consegue demonstrar isso com maestria, mesmo que às vezes a construção do roteiro seja complicada, o poder sempre estará em jogo, não importa qual o conflito.

É o tipo de série para ser estudada e não para assistida. Durante os episódios é sempre bom ir fazendo anotações mentais sobre o que cada ação dos protagonistas pode influenciar em um longo prazo. E, se bem estudada, muitas lições sobre estratégia, relações do poder e manipulação podem ser tiradas.

  4. Ozark

Também conhecida como “Breaking Bad” da Netflix, Ozark é um tesouro escondido, pois é pouquíssimo conhecida pelos brasileiros, mas é de uma qualidade absurda, e que também já tem review aqui no puxadinho. A série acompanha a vida do analista financeiro Marty Byrde, que após seu sócio se envolver em um esquema com um cartel de drogas mexicano, oferece serviços de lavagem de dinheiro pra o cartel, para que ele e sua família não acabem como o seu sócio: morto.Para isso, ele se muda junto a sua família para o lago de Ozark, uma cidadezinha com um clima bem sinistro e com as suas próprias peculiaridades envolvendo o mundo do crime. Lá ele acaba se envolvendo com outros criminosos locais. A série é um mix de Breaking Bad, House Of Cards e o clima de Dark.

Para evitar a fiscalização do governo e/ou impostos, o protagonista utiliza diversos artifícios financeiros que, apesar de serem apresentados de forma bem superficial, conseguem demonstrar o quanto nosso sistema financeiro é altamente burlável. O que nos faz refletir sobre a natureza de alguns negócios, principalmente após os escândalos de corrupção que o Brasil passou nos últimos anos. Será que aquela inofensiva pousada próximo a sua casa não está sendo utilizada para lavar dinheiro para um político corrupto ou até um traficante de drogas?