Opinião Sincera | O Passageiro

the-commuter-3500x1969-liam-neeson-2018-11562.jpg
 

              Estreou no último dia 8 de março mais um filme de Lian Neeson, dirigido por Jaume Collet-Serra e que conta no elenco, também, com Patrick Wilson e Vera Farmiga, o casal da franquia Invocação do Mal.

              O filme não foge muito da premissa dos últimos filmes de Neeson, com seu personagem precisando entrar numa corrida para conseguir salvar sua família. Em "O Passageiro" ele é um ex policial vendedor de seguros que é demitido e  levado por uma mulher misteriosa (Vera Farmiga), no mesmo dia da demissão, a investigar todas as pessoas de um trem, que ele sempre pega para o trabalho, para encontrar um suposto criminoso com uma bagagem misteriosa em troca de 100 mil dólares. A partir daí, começam a se desenrolar muitas situações de tensão e algumas reviravoltas.

Vera Farmiga como a mulher misteriosa

Vera Farmiga como a mulher misteriosa

              Somos levados junto ao protagonista a tentar eliminar as possibilidades de quem é esse passageiro misterioso, mas uma coisa em que o filme peca é que não mostra muita coisa sobre os personagens, o que nos faz supor é o suspeito baseado apenas na aparência física e no seu comportamento no trem. Apesar de as reviravoltas serem interessantes e instigantes, chegam a ser um pouco cansativas por sempre aparecer alguém novo envolvido em toda a trama da mulher misteriosa.

              O clima do filme lembra um pouco o clima de "Assassinato no Expresso do Oriente" com o detetive Poirot precisando investigar o trem atrás de um assassino. Porém, "O Passageiro" consegue ser mais interessante, pois, mesmo no clichê dos filmes de ação de Neeson, não tem nenhuma situação entediante fazendo com que fiquemos apreensivos para saber o que vai acontecer e quem é esse passageiro misterioso, visto que somos apresentados a muitas possibilidades que acabam se revelando não serem a resposta.

              Por ser um filme de ação focado no suspense e na perseguição, ele não se preocupa em apresentar os personagens dando um background para eles. Apenas dá uma contextualização geral para nos fazer entender um pouco o porquê de suas ações.

              Apesar disso, diferente dos outros filmes (Busca Implacável 1, 2 e 3), o filme não foca em perseguição e tiroteio gratuitos, onde o personagem sai matando todo mundo que aparece na frente. Aqui o foco é na tensão psicológica do protagonista que precisa resolver o mistério antes que o trem alcance o fim de linha. Todas as cenas de luta e tiros tem um contexto que as justificam.

              O longa não falha em entreter o expectador, com momentos de causar medo, tristeza e até momentos que conseguem tirar um riso. Se você procura um bom filme para assistir e sair um pouco do tédio no fim de semana, "O Passageiro" é um filme muito recomendável.