Opinião Sincera | Sense 8 (Netflix)

sense8-s02e07-b1103e815fdb47c2fecb827ab5d24855-full.jpg
 

              Lançada em 2015, Sense 8 foi uma série de drama, aventura e ficção científica produzida pela Netflix. Criada pelas irmãs Lili e Lana Wachowski (conhecidas por terem produzido a trilogia Matrix e V de Vingança), a trama aborda oito indivíduos espalhados pelo mundo que, de forma misteriosa, presenciam remotamente a morte de uma mulher e após isso desenvolvem uma conexão telepática.

              Como o nome já sugere, contamos aqui com oito protagonistas: Capheus, um motorista de van na Etiópia; Kala, uma química indiana; Lito, um ator de filmes de ação no México; Nomi, uma hacker estadunidense; Riley, uma DJ islandesa; Sun, uma economista sul-coreana; Will, um policial de Chicago; e Wolfgang, um ladrão alemão. Cada um deles vive um drama pessoal paralelo à narrativa principal da história e com características bem específicas, dando a eles muito carisma.

              Além do carisma dos protagonistas, outros pontos na série fizeram com que ela ganhasse a apreciação do público brasileiro: a originalidade da história e, principalmente, a forma como aborda questões sociais. Sense 8 é um show que exala representatividade, tendo, em seu elenco principal, atores e atrizes de variadas culturas, origens étnicas, sexualidades e gêneros, o que a fez ganhar muito apreço dentro da comunidade LGBTQ.

              Como supracitado, o Original Netflix teve muita audiência no Brasil, tanto que os atores marcaram presença na CCXP de 2016, na CCXP Tour de 2017 e filmaram cenas na Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Apesar do sucesso, os custos por episódio eram exorbitantes (cerca de 9 milhões de dólares!) e a audiência não era rentável para a produtora. Sendo assim, a série foi cancelada no final da segunda temporada, o que causou a indignação dos fãs. Após muita manifestação nas redes sociais, com direito a um abaixo-assinado com mais de 500 mil assinaturas, foi anunciado a produção de um filme para fechar os plots que ficaram em aberto na temporada anterior. O longa estreou na plataforma Netflix em 8 de junho, dando um final à saga dos oito sensates.

foto.jpg

              Ao final da segunda temporada, as histórias individuais estavam já se encaminhando para um final, então claramente a série seria concluída numa terceira temporada. O telefilme serviu para amarrar essas pontas que ficaram soltas, porém, mesmo com mais de duas horas de duração, nem todas as narrativas conseguiram ser trabalhadas e muitas perguntas ficaram em aberto (inclusive com novos questionamentos sendo levantados), tudo isso feito com correria. Um outro ponto negativo da película é que, assim como algumas narrativas não foram abordadas, alguns personagens tiveram pouca relevância em cena, o que destoa das duas temporadas, que apesar de ter bem definido que Will e Riley tem mais destaque que os demais, consegue equilibrar bem as aparições de cada um.

              Sense 8 foi uma série que conseguiu atingir muito bem sua função principal: entreter. Tem cenas de ação, com tiroteios e perseguições automobilísticas, tem romance, aventura, drama e consciência social. Mesmo com o fim abrupto e o filme não conseguindo fechar a saga da forma como ela merecia, a história dos oito sensates vai deixar saudades, tendo sido uma boa série sobre empatia, onde, literalmente, os personagens se colocavam no lugar do outro.