Opinião Sincera | Homem-Formiga e a Vespa

 

              Depois de imergirmos no mundo das formigas no primeiro filme, “Homem-Formiga e a Vespa” chega com a proposta de mostrar onde estava Scott Lang durante os acontecimentos de Guerra Infinita e dar pistas de qual será o papel dele e do reino quântico em Vingadores 4 na luta para derrotar Thanos e reverter os efeitos da manopla do infinito.

[Possíveis spoilers abaixo]

              Neste filme temos Hank Pym, junto com sua filha, resgatando Scott, que está em prisão domiciliar após os acontecimentos de Guerra Civil, para ajudá-los a acessar o reino quântico para trazer sua esposa de volta depois de ficar presa em uma missão anos antes. Porém, logo são atrapalhados pela vilã Fantasma que quer roubar sua tecnologia sem motivos muito claros inicialmente. É aí que a história começa de fato.

              Seguindo a fórmula do anterior, o filme segue mostrando as mudanças de escala com as coisas mais inusitadas encolhendo e aumentando de tamanho e com Scott sempre quebrando a tensão com alguma piada. Porém, como já tivemos muito disso, fica aquela sensação de pressa para que o conflito seja logo apresentado e a ação comece. Em muitos momentos a trama empaca para resolver problemas paralelos, o que é um pouco frustrante, pois ficamos constantemente naquela de "agora vai".

              Como mostrado no trailer, a Fantasma parece ser bastante poderosa com motivações grandiosas, porém ela se revela uma personagem fraca com motivações bem aquém do esperado, o que a torna apenas uma distração para atrapalhar os heróis em acessar o reino quântico.

              Além disso, outro fator que “atrapalha” o desenvolvimento da história é o aumento de relevância em antagonistas secundários, o que realça a pouca significância da ameaça da vilã e sua falha em conseguir conduzir a trama sozinha. Diferente do filme anterior, em que acompanhar Scott descobrindo seus poderes e o mundo em uma escala bem menor nos faz não sentir falta de um grande vilão, aqui já precisamos de uma grande ameaça para prender nosso interesse.

              Ao sair do cinema, a sensação é a de que não foi entregue tudo aquilo que se especulava, podendo ser considerado apenas como um “tapa buraco” para aliviar a ansiedade para a continuação da luta contra Thanos.

              “Homem-Formiga e a Vespa” é um bom filme para quem procura um entretenimento leve a la Sessão da Tarde, “Querida, encolhi as crianças”, para passar o tempo. Mas os fãs do MCU, que esperam que o filme revele algum trunfo valioso contra Thanos, podem se decepcionar um pouco.

              Sobre as duas cenas pós-créditos, a primeira é de “explodir” cabeças. Já na segunda, podem ir embora, não vale a pena.

              Agora só nos resta teorizar sobre o papel do Homem-Formiga na Guerra Infinita e aguardar pelo próximo filme do MCU, Capitã Marvel, que está previsto para 28 de fevereiro de 2019.