Opinião Sincera | The Seven Deadly Sins

7DS_keyart_1498816249.jpg
 

              The Seven Deadly Sins, ou como conhecida em japonês: Nanatsu no Taizai, é uma série de mangá escrita e ilustrada por Nakaba Suzuki, que teve sua primeira publicação em outubro de 2012 e conta com 31 publicações até a data de 17 de Abril de 2018. Sua adaptação para anime estreou no dia 5 de outubro de 2014 e teve um total de 24 episódios e 2 OVAs na primeira temporada.

              The Seven Deadly Sins conta a história de um grupo de 7 cavaleiros do reino de Britannia, conhecidos como “Os Sete Pecados Capitais” que se dispersaram depois de serem acusados de tentar assassinar e destronar o rei de Liones, o mesmo rei que juraram proteger. A suposta tentativa de assassinato resultou na morte deles pelas mãos dos outros cavaleiros do reino, mas existem rumores de que os mesmos ainda estão vivos. 10 anos após esses acontecimentos, os mesmos cavaleiros que derrotaram Os Sete Pecados Capitais planejam um golpe de estado e capturam o rei, mantendo-o sob custódia. Nesse golpe, a princesa Elizabeth consegue fugir e segue atrás do rumor de que Os Sete Pecados Capitais estão vivos, na esperança de que eles a ajudem a retomar o poder de Liones.

              Uma coisa digna de nota sobre o Mangá/Anime é o mundo em que se passa a aventura. Existem vários Clãs/Raças, cada um com suas características e sociedades bem definidas, que vão se revelando ao longo da história. Outra coisa que acredito ser muito interessante é como cada personagem tem uma magia única, nenhuma (até o presente momento) é uma cópia de certa forma da outra, são magias muito únicas, como fazer um contra-ataque a qualquer ataque físico ou a habilidade de criar um escudo esférico impenetrável.

              O anime tem uma característica de aceitar e rejeitar ao mesmo tempo alguns clichês de Shonens. Vou dar como exemplo a saga que os personagens passam para recuperar um aliado que se encontra preso. Enquanto em outros Shonens (Mangás/Animes), voltados para o público masculino entre 12 e 18 anos de idade, essa saga demoraria vários episódios para se concluir, em The Seven Deadly Sins essa saga é concluída em 2 episódios, sem parecer que foi rápido demais, apenas no tempo certo. Mas também acho justo revelar que a série tem momentos Ecchi (termo usado quando se têm aspectos sexuais em uma mídia japonesa), onde um personagem é fissurado em calcinhas e roupas sensuais, fazendo o possível para levantar a saia e ver a roupa íntima ou até tocando e brincando com seios. Esse aspecto Ecchi me fez perder muito da diversão que eu teria assistindo ao anime, pois acaba sendo abusivo para a personagem feminina e, para exacerbar ainda mais o meu desconforto, ela ainda passa a gostar do comportamento.

              A história também segue alguns momentos em que algo inesperado acontece, o que realmente me faz esperançoso para os novos Shonens que podem aparecer, com ideias e execuções inovadoras.

              No aspecto sonoro, a série foca mais em qualidade do que quantidade, tendo repetições em músicas, mas de boa qualidade. As músicas das 4 aberturas e finais adiciona ao tema e poucas vezes são puladas. As vozes dos personagens também possuem uma ótima qualidade, utilizando inclusive de efeitos que realçam a característica daquele personagem.

              A série brilha em seus personagens secundários, com desenvolvimentos realmente profundos, fazendo aquele personagem que você achava que seria facilmente descartado se tornando um dos seus favoritos. Um dos problemas que encontrei nos personagens está no principal, Meliodas, um personagem superpoderoso, que possui pouco desenvolvimento pessoal e geralmente não tem dificuldades em combates (isso na primeira temporada, na segunda o personagem é mais desenvolvido) e passa apenas aquela impressão de personagem enigmático e ponto.

              The Seven Deadly Sins ou Nanatsu no Taizai é uma nova pegada no gênero do Shonen, possuindo um desenvolvimento de história em um ritmo muito bom e com personagens que fazem você odiar e amar alguns episódios depois (ou vice-versa), mas que possui um GRANDE elemento Ecchi, que pode reduzir ou não o seu nível de diversão, como um prato que mistura algo doce com salgado, vão ter pessoas que vão amar esse conflito de sabores que cria um novo, outras pessoas vão focar mais no doce ou no salgado, fazendo a outra parte ficar esquisita na boca. Sendo assim, apreciem o prato com moderação.