Opinião Sincera | Mamma Mia 1 e 2

 

              No dia 02 de agosto estreou “Mamma Mia! Lá vamos nós novamente!” dez anos após o primeiro filme, continuando com um grande elenco com Meryl Streep, Amanda Seyfried, Colin Firth, Pierce Brosnan, Stellan Skarsgard, Julie Walters, Christine Baranski, Cher e muitos outros. O primeiro filme foi uma adaptação do musical de mesmo nome, que foi baseado nas canções do grupo pop sueco ABBA.

              O primeiro filme foi lançado em 12 de setembro de 2008 no Brasil. Esse se passa na ilha grega de Kalokairi, Sophie (Amanda Seyfried) está prestes a se casar e, sem saber quem é seu pai, envia convites escondidos após ler no diário de sua mãe que  três ex-namorados poderiam ser seu pai, Sam (Pierce Brosnan), Harry (Colin Firth) e Bill (Stellan Skarsgard). Quando esses três homens chegam na ilha, Donna (Meryl Streep) é surpreendida e precisa de mil desculpas para não revelar quem é o pai de Sophie.

              Ele teve uma boa repercussão, venceu na categoria de “Melhor filme musical” e “Melhor Atriz” - Meryl Streep no National Movie Awards 2008, além de ter sido indicado aos prêmios “Melhor filme - comédia/musical” e “Melhor Atriz” - Meryl Streep no Globo de Ouro de 2009. Apesar de já ter 10 anos, é um filme que vale a pena ser visto principalmente se você ainda vai ao cinema assistir o 2°, mesmo as histórias não sendo dependentes. Esse não é um filme que colocaria no meu top 5 musicais, mas é muito bom. De forma geral, as músicas se encaixam bem ao longo da história, existe uma boa química entre os atores, principalmente Amanda Seyfried e Meryl Streep. Mas acho que a história, por vezes, acaba deixando algumas pontas um pouco soltas e relacionamentos que poderiam ser melhor trabalhados, faltam alguns “porquês”, digamos assim.

              E, dez anos após o primeiro sucesso, chegou aos cinemas “Mamma Mia! Here We Go Again”. O filme se passa um ano após a morte de Donna, quando sua filha Sophie está prestes a re-inaugurar o hotel de sua mãe, agora reformado. Convidando, claro, seus pais Harry, Sam e Bill e as melhores amigas de sua mãe Rosie e Tanya. Ao mesmo tempo, seu marido Sky está em Nova York fazendo um curso de hotelaria. Além da história principal, ao longo do filme a história de como Donna, interpretada por Lily James, conheceu cada um dos pais de Sophie é apresentada aos espectadores.

              Mesmo com duas histórias em paralelo, o filme consegue distingui-las, o que é muito importante, principalmente se você não tiver visto o primeiro. Toda a história de Donna quando jovem é encantadora. Em alguns momentos queria que tivesse um filme só com esse foco, para que a relação dela com cada um dos seus amores fosse mais explorada.

              Mas, de forma geral, o filme consegue não deixar pontas soltas, só alguns relacionamentos que poderiam ser mais desenvolvidos. Já na história atual, digamos assim, Sophie enfrenta dificuldades com a falta da mãe. Em alguns momentos você até esquece que Donna não está presente, talvez porque a participação dela jovem no filme faz com que não se sinta tanto a falta da personagem na história central. Mas o final do filme trás uma cena emocionante e delicada que nos lembra porque Mamma Mia é encantador *-*

              Claro que até a re-inauguração de fato do hotel precisa ter um pouco de drama. Algumas coisas que não saem como o planejado, mas no final sempre dá certo. É importante falar que, assim como os fãs desse filme tem a sensação de reencontro após esse break de 10 anos, os personagens também, o que trás um gostinho diferente ao filme.

              Com a mesma trilha sonora, “Mamma Mia! Here We Go Again” consegue fazer os fãs cantarem cada música como se elas fizessem parte de suas vidas. As paisagens lindas, na Grécia, Inglaterra, França, dentre outros, são um belíssimo cenário para as histórias. Sem falar da semelhança e caracterizações muito boas entre os atores que fazem os personagens jovens e mais velhos. Sendo você fã ou não desse filme, vale muito a pena conferir a sequência. Com o toque de musical tradicional, você com certeza vai sair desse filme mais “leve” do que entrou.