Opinião Sincera | Please Like Me

 

A série australiana foi ao ar pela primeira vez em 2013 e conta com 4 temporadas, que você pode encontrar na Netflix *-*. Com uma mistura de drama e comédia, ela aborda assuntos que estão imersos em nosso cotidiano de forma genuína, meio Girls, My mad fat diary e Love.

Produzida, dirigida e estrelada pelo comediante Josh Thomas, a proposta é acompanhar a vida de Josh em seu cotidiano. Logo no primeiro episódio, ele leva um fora de sua namorada de adolescência Claire, alegando que ele seria gay. Nesse mesmo dia o protagonista tenta transar com um colega de trabalho, Geoffrey, e seu melhor amigo Tom (Thomas Ward, também roteirista), começando a questionar sua sexualidade e como sair do armário com um pai vivendo uma crise da meia idade, uma madrasta ácida e mãe bipolar com tendências suicidas. - Sim, tudo isso em um episódio. Além de um olhar sobre relacionamentos, carreira e amizade, a série constrói personagens complexos e um panorama interessante sobre saúde mental.

Please like me é aquela série que conquista porque a vida é feita de altos e baixos, assim como seu roteiro. Apesar de Josh ser gay, esse não é o centro da narrativa, na verdade é apenas um ponto dentro de toda a história. Ao longo das temporadas novos relacionamentos são introduzidos que mudam sua vida e forma de se relacionar.

 (Alerta possíveis spoilers!)

Um dos arcos interessantes da história é a relação de Josh com sua mãe, Rose (Debra Lawrence). Sua doença passa por diferentes fases ao longo das temporadas, em momentos ela está bem tentando mudar sua vida e iniciar uma nova fase, chegando a pintar o cabelo de uma cor vibrante, e em outros deixa de se cuidar, para de tomar seus remédios. Na série, Rose faz uma breve passagem por uma clínica psiquiátrica, e somos apresentados a Hannah, Arnold e Ginger, o que faz com que a série consiga abordar outros pontos da saúde mental sem romantização. Arnold se envolve romanticamente com Josh e o protagonista precisa, novamente, aprender a lidar com situações que não está acostumado, como por exemplo as inseguranças de Arnold.

Outro ponto são seus amigos Tom e Claire, apesar do término de relacionamento, Josh e Claire ainda continuam próximos. Sem grandes pretensões, esse trio retrata a realidade de uma geração já buscando independência financeira, tentando encontrar seu espaço no mundo, fugindo de responsabilidade e compromissos.

 (Livre de spoilers!)

O fato de ter uma ótica leve e humanizada para assuntos tão pertinentes como saúde mental, relacionamentos abusivos, homossexualidade, e pontos de humor com o timing incrível, faz com que essa série seja imperdível. E não podemos esquecer as inúmeras referências à cultura pop, desde músicas de Adele a filmes como Simplesmente Amor. Se você já assistiu conta aqui o que achou da série, e se ainda não viu, tá esperando o quê?