Opinião Sincera | Reconstrução (Tiago Iorc)

 

No começo de maio, repentinamente, Tiago Iorc exclui todas as fotos do seu Instagram, coloca apenas uma – que é a capa do álbum – e lança nos serviços de streaming o seu novo trabalho juntamente com 13, sim, 13! Clipes das músicas do CD – que o próprio cantor estabelece como um filme. Após um período sabático de hiato de quase 2 anos, Tiago Iorc está de volta às mídias e ao público com um álbum novo: Reconstrução. Tirado todo o mistério do músico e frisson dos fãs nesse sumiço “sofrido” pelo cantor, vamos falar um pouquinho e entender porque esse álbum é tão importante não só para carreira do Tiago, mas também para toda a sociedade.

Aqui eu queria dividir essa obra em 2. A primeira música do álbum, Desconstrução, e o resto do álbum. Quando ouvi pela primeira vez, eu entendi que existia nitidamente uma separação bem radical entre esses dois pontos. Vamos começar a falar do resto do álbum e por fim falaremos da primeira faixa do álbum, taokey?

As 12 músicas são, por definição stricto senso, músicas de amor, mas é aí nessa temática que o próprio Tiago se reinventa. O amor EROS é amplamente abordado de temas, visões, momentos e sensações diferentes.

02 - Hoje Lembrei do Teu Amor

Parece mais uma música ao molde já testado com sucesso do Tiago Iorc. Assobios, Vocalizações e Tambores de Fundo. É um modelo característico dele e que já conquistou os fãs anteriormente. Parece, da primeira vez que se ouve, que o álbum vai ser um pouco mais do mesmo. Pode ser que sim, pode ser que não... Vamos seguir.

03 - Deitada Nessa Cama

Hmm... Esse álbum parece ser um ctrl c ctrl v?! Mesmo sistema da música anterior, o eu lírico incita a fuga do amor a todo instante, será que foi por isso que nosso amigo Tiagão sumiu?? Detalhe para clipe erótico.

04 - Fuzuê

Opa! Estamos virando o jogo aqui! Violão característico, mas umas guitarras e sintetizadores que deixam a música bem dançante. Foco na letra aqui para um romance mais ao estilo “pega e não se apega”, “vai não vai”. Parece muito com Jota Quest. É legal.

05 - Faz

Dance ao estilo lo-fi muito bom. Pegada diferente, música sensual. Aqui é o clássico estilo seduzência. A música vai crescendo e a levada aumenta até chegar ao clímax (?!). Tiago Iorc se joga de peito aberto ao amor e “só vai”, literalmente. Novamente detalhe para o clipe extremamente erótico (Proibido pelo Youtube para menores).

06 - Tangerina

Aqui percebi também mais do mesmo Tiago Iorc. Com algumas variações com uns beats. O tema da música é mais fofo aqui, e compara o eu-lírico amoroso com uma fruta doce, e com uma cor viva, mas a temática ainda é bem sensual, amigos, não se deixem enganar.

07 - Laços

Violão dedilhado, vocalizações e piano ao fundo. Música mais calma e que exalta a felicidade e o rumo otimista de um novo caminho com o amor ao lado.

08 - Nessa Paz eu vou

Essa é legal, bem gostosinha. Um reggae bem calmo e alegre. O refrão é bem intimista e também continua falando sobre estar ao lado da pessoa amada e como é bom estar ao lado dela/dele.

09 - Tua Caramassa

Não gostei dessa música. Mas os trocadilhos são legais. Nota 5. Sigamos!

10 - Me Tira Pra Dançar

Depois da música 01, essa é a minha faixa preferida. Sambinha com retro gosto de bossa. Tiago já tinha feito isso em outro álbum, e ele sabe fazer bem. Refrão com boa letra e harmonia ao estilo flamenco que afirma a boa fórmula dessa música. Topster! 😉

11 - A Vida nunca cansa

Um rhodes bem suave com um violão de fundo dão um ar intimista para reflexão do amor em tempo de guerra. Muito boa! “E lá fora o mundo volta a girar”.

12 - Bilhetes

Parecido com a última. O mundo se acaba lá fora e eu quero amar você. Basicamente isso, mas a música é bem construída harmonicamente.

13 - Sei

Por fim, Sei, fecha o álbum com maestria. Pianão no fundo e uma letra bem reflexiva, bem filosófica. Os falsetes no fim das estrofes são lindos. Melódica e harmonicamente a música é perfeita, cada acorde parece que encaixa de forma não comum. Você acha que a música vai seguir uma linha harmônica e ela te joga para o outro lado. Demais.

Bom, feito essas simples e curtas críticas a cada música, voltemos para a faixa que é mais emblemática, mais importante, e que intitula o tema do CD: Desconstrução.

Essa é a letra mais importante e relevante já feita pelo Tiago Iorc. A música descreve detalhadamente a depressão, e toda a sua evolução que vai desde uma simples procura por likes na internet até o final trágico de um suicídio. É dificílimo não se emocionar e não se lembrar de pessoas que estão a nossa volta que passam por isso todos os dias. É difícil a gente não lembrar de todos aqueles que já se foram por causa dessa triste doença. A canção é dura, e eu não quero me ater aos recursos musicais dela – que se encaixam perfeitamente na temática – mas essa música talvez sintetize tudo o que Tiago Iorc passou nesse exílio temporal. Ela parece tristemente fechar um ciclo de dois álbuns do cantor de temáticas envolvendo a internet: Troco Likes de 2015, e Sigo de Volta de 2016. Para mim, Desconstrução resume como a depressão na era digital está próxima, crescente e acabando com a vida de muitas pessoas.

Também senti alguma semelhança dessa música com a música Construção, do Chico Buarque. Não só pelo antagonismo do nome, mas pela estrutura musical e narrativa parecida entre as duas. Detalhe interessante para a música de Chico, onde a morte é tratada como um empecilho, e na música do Tiago, a morte é um afunilar trágico.    

Eu sei que essa Opinião ficou um pouco extensa, mas recomendo o vídeo abaixo como um plus a esse texto. Ele explica de forma muito mais detalhada a música Desconstrução. Creio que sua cabeça vai fritar ainda mais depois que tu assistires esse vídeo.

Até a Próxima!